BRASILEIRA GOURMET E AS BOAS PRÁTICAS LIXO ZERO

Tema será debatido em live Lixo Zero com a Chef Adriana Saldanha, nesta segunda-feira (26)



Abril | 2021 - O Brasileira Gourmet dá continuidade este ano às ações Lixo Zero no

restaurante, mesmo com o atendimento reduzido em razão da pandemia. Desde 2019, as

melhores práticas para atingir a meta Lixo Zero fazem parte das atividades do espaço de

gastronomia, instalado no centro histórico de São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo. Com

a implantação de um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, o Brasileira Gourmet

destinou de forma adequada 100% do lixo orgânico e do lixo reciclável produzidos na

operação diária, até março de 2020, quando a pandemia obrigou o fechamento temporário.

Colaboradores foram capacitados a atuar na separação correta dentro do espaço e o

encaminhamento de todo o material para compostagem ou para recicladores contou com a

consultoria de especialistas da Flow Desenvolvimento Sustentável e Consciente. “O retorno

do atendimento aos clientes com Comida para Viagem mantém o engajamento com a meta

de reduzir, separar e encaminhar os resíduos gerados para reciclagem e para a compostagem”,

afirma a Chef Adriana Saldanha. Em março/2021, o Brasileira Gourmet recebeu o Título

Atitude Cidadã pelo compromisso sustentável.


Nesta segunda-feira (26), às 15h, a Chef Adriana Saldanha estará ao vivo, online, no

Encontro Lixo Zero Melhores Práticas, em São Sebastião, live promovida pelo Coletivo São

Sebastião Lixo Zero, com apoio do Instituto Lixo Zero Brasil.

Na live, a Chef Adriana conversará com a consultora Tatiana Araújo sobre a experiência e os

resultados do Brasileira Gourmet, ao vivo pelo instagram do São Sebastião Lixo Zero

@sslixozero.




Acesse e conheça as ações ambientais do restaurante Brasileira Gourmet. O encaminhamento

correto do lixo produzido pela sociedade é um tema urgente na agenda ambiental, pois a

quantidade de resíduos sólidos urbanos destinada inadequadamente no Brasil cresceu 16% na

última década, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e

Resíduos Especiais (ABRELPE) . O montante passou de 25,3 milhões de toneladas por ano, em

2010, para 29,4 milhões de toneladas por ano, em 2019, jogadas em aterros controlados e em

lixões, com forte impacto sobre o meio ambiente e a saúde.

Destaque